SEGUNDA-FEIRA, 19 DE AGOSTO DE 2019
Parcialmente Nublado
26º
MÁX
13º
MIN
1020 AM
Rádio Independência
106,5 FM
Rádio São Miguel
93,3 FM
Rádio Terra das Águas
89,7 FM
Rádio Guaíra
820 AM
Rádio Cultura Foz
| Fonte: Assessoria APP Sindicato | Fotos: Assessoria APP Sindicato | 08 de Julho de 2019

Servidores marcam para terça-feira (09) mais um ato estadual unificado

Protesto vai reunir milhares de trabalhadores de todo estado em Curitiba, pela data-base e contra retirada de direitos.

Os servidores públicos estaduais em greve vão realizar nesta terça-feira (09) mais um ato unificado em Curitiba para cobrar do governador Ratinho Junior (PSD) o pagamento reposição salarial. A concentração terá início às 9h na Praça 19 de Dezembro, região central da cidade. Na sequência, os trabalhadores vão em caminhada até o Palácio Iguaçu, sede do governo.

“A nossa greve está crescendo a cada dia. Os servidores estão indignados com a forma como o governador tem nos tratado e precarizado os serviços públicos. Dia nove voltaremos às ruas para exigir o que é nosso por direito e, mais uma vez, defender serviço público de qualidade para todo o povo paranaense”, comenta o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Silva Leão.

Em greve desde 25 de junho, professores e funcionários de escolas e universidades, servidores da saúde, segurança pública, meio ambiente e agricultura já realizaram uma manifestação no dia 1º, também na capital. Segundo o Fórum das Entidades Sindicais (FES), mais de 15 mil vieram de todas as regiões do estado.

Dois dias depois do protesto, o governador anunciou à imprensa uma proposta para pagar apenas 0,5% a partir de outubro. Imediatamente o movimento recusou a oferta, classificada como “indecente”. Ratinho Junior ainda condicionou a aplicação mediante a retirada de direitos dos trabalhadores.

A data-base para revisão salarial do funcionalismo venceu no dia 1º de maio e a inflação acumulada no período é 4,94%. Os servidores também reivindicam a negociação dos atrasados. Com os salários congelados desde 2016, as perdas passam de 17%.

“Os servidores estão em greve por culpa do governo, que não apresenta uma solução para o impasse que ele mesmo criou. Nós exigimos respeito e uma proposta decente para recompor as perdas da inflação e melhorias do serviço público. Não aceitamos e não negociamos retirada de direitos”, diz a integrante da coordenação do FES, Marlei Fernandes.

O governador tem se negado a receber os representantes dos servidores e, após a reunião que teve com a imprensa, encaminhou as medidas para a Assembleia Legislativa (Alep) através de um projeto de lei que pode ser votado pelos deputados já na próxima semana.

Para as lideranças sindicais, a postura do governador é considerada autoritária, um desrespeito ao funcionalismo e contraria tudo o que ele prometeu. Durante a campanha eleitoral, Ratinho declarou que pagaria a data-base se reuniria com os sindicatos em um dos primeiros atos do seu governo.

Costa Oeste News Telefone (45) 3565-1022 | Whatsapp (45) 99102-5533
Rádio São Miguel Telefone (45) 3565-1022 | Whatsapp (45) 3565-1022
Rádio Terra das Águas Telefone (45) 3268-8778 | Whatsapp (45) 98818-3666
Rádio Independência Telefone (45) 3264-1713 | Whatsapp (45) 99935-8890
Rádio Guaíra Telefone (44) 3642-1945 | Whatsapp (44) 99118-5606
Rádio Cultura Foz Telefone (45) 3026-8020 | Whatsapp (45) 99827-8200